Roteiro Europa

NÃO SE STRESSE; MONTO SEU ROTEIRO PARA EUROPA E FAÇO ORÇAMENTOS POR R$:150,00 ESCREVA ME: jonasschwertner@hotmail.com

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Dicas Crimeia e Odessa


Dicas e Relato de minha viagem a Criméia
  
Criméia um paraíso para ser descoberto.


È assim que eu vejo a Criméia hoje. Esta região já era a que eu mais tinha vontade de conhecer esta viagem que fiz em Junho de 2013. O Roteiro completo deixei aqui no meu blog neste link :


Um pouco mais sobre a Criméia

 O que me levou a querer conhecer esta Região da Criméia foram fatos históricos da segunda guerra principalmente. E devido a isto comecei a pesquisar e ver lugares muito bonitos. Hoje se eu fosse voltar ficaria mais tempo lá e iria incluir mais cidades. A região quando chegamos já da para notar logo a diferença nas paisagens em relação ao resto da Ucrânia. As marcas das gigantes industrias abandonadas do período da União Soviética estão em todas as cidades. Mas o que mais chamou foi que praticamente não via bandeiras da Ucrânia. E sim uma que eu achava ser da Rússia. Depois que me falaram e percebi que é idêntica mas com pequenas diferenças. A Criméia é uma região que tem movimento separatista. A língua que a grande maioria fala é o Russo. E uma mulher falou que existem poucas escolas que ensinam o Ucraniano.  A Região também é banhada pelo mar negro.

A Chegada a Criméia


Depois de 18 horas de trem vindo de Kiev chegamos a Sevastopol que foi a cidade que escolhi como base. Eu optei por ela por ser as margens do mar negro, er interessante com alguns atrativos e de fácil logística. Se fosse apenas por logística eu escolheria Simferopol que fica no Centro. Mas  esta cidade é apenas uma cidade industrial com quase nada para conhecer.  Depois que chegamos fomos ao Hotel de taxi.


Sevastopol

sevastopol

Sevastopol é uma cidade de porte médio para os padrões da Ucrania. Foi base de lançamento de submarinos na época da União Soviética. O Centro histórico é pequeno mas interessante de se conhecer e a orla do centro também. Um dia inteiro para conhecer a cidade é bom. Nos ficamos mais dias para usar como base. O que percebi e não era não era novidade é que praticamente ninguém fala inglês ou alemão.


Yalta

Palácio khans

Yalta esta aproximadamente 60 km e este é o ponto alto de uma visita a Criméia. O primeiro desafio eu já havia me precavido e na recepção do hotel pedi para escreverem em russo os detalhes da passagem de ônibus que iríamos ter que comprar para chegar a Yalta.  Quando chegamos na estação perguntei se falavam alemão ou inglês mas nada. Bem ai foi usar o papel com os dados que precisávamos.  A viagem demorou aproximadamente 01:40. A paisagem é muito linda e deu vontade de em uma próxima voltar e visitar algumas cidades menores. O que reparei no caminho é eu as placas de transito estavam com opção em inglês também. Mesmo no resto do país as rodovias são muito bem sinalizadas pelos trajetos que perco ri. O objetivo em ir para Yalta para visitar o Palácio khans.  Chegando na rodoviária outra surpresa que não era surpresa que ninguém fala inglês ou alemão. O jeito foi comprar um postal para mostrar a foto e ai sim conseguir a informação de qual bus local pegar para chegar ao castelo. Bem foi tranqüilo, pegamos o ônibus e fomos conhecer o Palácio. Este palácio foi considerado pela revista National Geographic como 20 lugars que precisam ser visitados em 2013. A surpresa que lá tirando alguns vendedores ninguém fala inglês ou alemão. Compramos a passagem para voltar de barco para Yalta e foi no chute. Mas valeu muito a pena conhecer. Depois andamos pelo centro da cidade que é bonita também e regressamos a Sevastopol.

Dicas para Viajar pela Criméia
  
Para quem quiser ir para lá eu já recomendo se preparar para enfrentar lugares que não falam outros idiomas como inglês e alemão. Deixe já pré programado os lugares que você quer ir e sempre tenha cola escrita no idioma local dos lugares que você quer ir.  Se quiser ir de avião em Simferopol tem aeroporto com vôos de vários lugares. È uma opção mais tranqüila que fazer de trem como nos. E se quiserem tirar mais duvidas me escrevamjonasschwertner@hotmail.com

De Sevastopol para Odessa

O próximo destino foi a famosa Odessa. A viagem de Sevastopol para lá também não foi das mais curtas. Optamos por ir de Trem. Mas o trem direto sairia de Simferopol. Compramos as passagens fomos de ônibus até lá por ser mais rápido e ter muito mais opções. A viagem e 558 km em trem na 02º Classe cabine com portas mas com o ar não funcionando foi longa...demorou 15 horas. Mas como saia a tarde chegamos por volta das 05 da manha.

Odessa



Odessa é 3º maior cidade da Ucrânia mas recebe mais turistas que qualquer outra. È uma cidade para quem gosta de Praias ( e que não conhece praias como do Brasil, Caribe ou outras...) Optei por pegar um hotel na região em que teoricamente estão as melhores praias. Fica longe do centro algo que eu me arrependi. A cidade recebe muitos turistas realmente. Mas nem por isto encontra com mais facilidade pessoas que falam inglês. Os turistas em sua maioria vem da Russia ou outros países vizinhos. O centro tem alguns atrativos mas nada de mais. A vida noturna é bem agitada com muitas boates. Para quem gosta é paraíso. ( dica treine um pouco do ucraniano e russo para ir).  Eu não gostei da cidade. E não voltaria.

Mar Negro


Eu até então não conhecia o mar negro. As águas para final de junho estavam muito geladas. E as praias são feias. A água tem cor bonita. Pesquisei um pouco sobre o por que o nome de Mar Negro e encontrei a seguinte informação se dá devido à presença de grande quantidade de sais minerais que dão uma coloração escura. Não achei a cor tão escura. Mas acredito que navegando ai sim se percebe mais. Mas sair do Brasil para passear nas praias de lá não vale a pena. Se estiver passando sim. Passe para conhecer.

Próximo destino Moldávia

Se alguém quiser mais dicas ou informações sobre a Criméia ou outra região da Ucrânia me escrevajonasschwertner@hotmail.com

 Jonas Schwertner

terça-feira, 2 de julho de 2013

Ucrânia dicas e Relato de minha viagem

Ucrânia um lugar pouco conhecido pelos Brasileiro



 Nesta minha ultima viagem ( de 14 de Junho 2013 a 29 de Junho de 2013) eu fiz um roteiro um pouco diferente para o que a maioria dos Brasileiros são acostumados pela Europa.   Fiz Bielorússia, Ucrânia , Moldávia e Romênia.
 O roteiro eu coloquei no meu blog também
 Eu gostaria de poder falar mais sobre a Bielorússia mas devido a um problema no meu vôo da Lufthansa que foi cancelado perdi praticamente todo o tempo que eu teria para conhecer esta cidade. E que eu pretendo voltar para conhecer.

Visto para Ucrânia

 Brasileiros não precisam de visto para entrar na Ucrânia

                                                               De Minsk para Kiev

 Como a viagem começou em Minsk tinha planejado fazer este trajeto de Trem.  Comprei as passagens pelo site da companhia de trens da Ucrânia a qual vende etikets. Acontece que quando cheguei na estação de trem de Minsk a surpresa que tive foi que em Minsk não aceitam estes bilhetes. Que eu teria que ir La retirar e ai sim eles aceitam. Mas não foi o que consta no bilhete.  Bem estou agora esperando resposta do cartão para ver se eu consigo o reembolso pois na estação em Kiev eles falaram que este problema é comum e como é estatal não podem fazer nada. Bem resultado tive que comprar passagem de ônibus. Ai outro detalhe. Por sorte uma atendente falava alemão pois inglês ninguém falava na empresa de ônibus ( que vendida bilhetes internacionais) e os ônibus são muito ruins. A viagem durou a noite toda e nas paradas que não foram poucas não tem nada para você comprar para comer. Apenas em uma tinha espetinho e salgadinhos. Mas o pessoal leva junto. A passagem de ônibus custa em torno de 25% que de trem. Mas não tem conforto. Os 575 km foram feitos em mais de 14 horas em rodovia esburacada e de mão dupla. No final como fica claro as 4:00 da manha pude observar que muitas vezes o motorista estava dormindo ao volante acordando repentinamente. O mesmo dirigiu a noite toda.
O que eu gostei deste trajeto foi a paisagem. Muitas igrejas de madeira como algumas que tem em Prudentopolis no Paraná e em Curitiba.


                                                                              Kiev




 A chegada em Kiev foi tranqüila. Saquei logo dinheiro em caixa eletrônico. Descobri que o dinheiro que eu trouxe da Bielorrússia seria Suvinil de viagem pois não é aceito aqui. E lugar algum pelo jeito. A Cidade de Kiev e grande. Tem rede de metros e tudo mais. Logo que peguei o mapa do Hotel o que chamou atenção foi que os patrocinadores do mapa turístico da cidade eram em sua maioria casas de striper ou semelhantes. Bem no mapa que recebi tem informações em inglês e tudo mais. A rua devido a Eurocopa de 2012 foram colocadas muitas informações em Ingles. Mas a realidade é que quase ninguém fala inglês ou alemão. Falam em geral 2 a 3 idiomas ( Ucraniano, Russo e alguns falam Polonês. Mas não demora muito para se acostumar com a escrita deles e da para se virar tranqüilo.
 O que chamou logo a minha atenção em Kiev foi o metro. Tirando que o mapa que tinha estava em inglês e no metro em Ucraniano e alguma coisa em inglês era a profundidade de algumas estações. As escadas rolantes subiam, subiam e não parava.. E cada uma é diferente. Gostei de visitar muitas por causa do roteiro e também devido a questão que tirei visto da Moldávia em Kiev o qual não é possível tirar na fronteira por terra. Apenas se fosse de avião.


 Quanto tempo preciso reservar para conhecer Kiev?


 Eu fiquei 2 dias mas foram puxados por que gastamos tempo com a questão do visto para Moldavia. Menos que isto fica muito corrido. E se for querer fazer passeio por Chernobyl precisa reservar mais um dia inteiro para isto.


 O que ver em Kiev?




 Alem de dezenas de igrejas que você encontra espalhadas pela cidade vou falar de algums. Eu recomendo começar pela praça da Independencia ( Maidan Nezalezhnosti), Depois podem subir para Catedral de São Miguel . Ele é muito bonito e ao lado dele fomos almoçar em um restaurante. Depois é seguir as placas que nesta região tem em inglês e andar pelo parque para ver os demais lugares. Quase todos estão na seqüência. Se você for fazer a pé é bom estar bem descansado e com calçado bom pois é uma boa distancia. Para quem não quer tem aqueles ônibus que você compra passagem e pode embarcar e desembarcar nos pontos que eles passam. Facilita para quem quer.  Nos ( eu e pessoas que estavam viajando comigo) optamos por fazer a pé mesmo.  Neste caminho vocês vão passar pelo palácio do governo, outras igrejas, alguns prédios públicos e quase no final da Rota vão chegar ao Mosteiro das Grutas ou Pechersk Lavra. È um complexo muito grande. Lugar ótimo para tirar fotos e pode preparar algumas horas para conhecer.  O final é a estatua que eles comparam a Estatua da Liberdade e ao Cristo Redentor do Rio de Janeiro. Rodina Mat (Motherland). Chegamos no final do dia e estava tendo uma apresentação de Soldados. Nada de mais. Mas foi interessante ver.
























Vida Noturna em Kiev


 Eu não posso dizer sobre isto pois não sai a noite para festas. Mas pelo que vi nas propagandas e tudo mais é bem ativa.

 Comida na Ucrânia


 A comida eu achei normal em comparação a outros lugares da Europa. O custo é relativamente baixo se comparado a preços da França ou Italia.

 Dicas para quem for para Kiev

 Peguem os cartões e nomes de lugares que vocês querem ir no idioma local. Assim mesmo que vocês não entendam o que eles falam a comunicação por gestos funciona. 

 Curiosidades:

 Assim como no Metro de Paris você sente fortes “aromas” no metro de Kiev.
Para quem gosta de comer massa em alguns restaurantes eles cobram pelo queijo parmesão que você pede para passar ou usar.
            E não é apenas o queijo. Em  praticamente todos os lugares o Limão que aqui usamos muito para colocar nas bebidas e na Coca você paga. Isto mesmo quase todos os lugares você paga pelo limão. Eu acredito que deva ser por que limão lá é importado. Mas é estranho para quem não é acostumado.

 Depois de Kiev

 O próximo destino foi a Criméia. No sul da Ucrânia.  Compramos passagem de trem conseguimos apenas a 03º classe que também eram espécie de mini cama mas sem cabine. 4 por repartição. Foram 18 horas viajando em um trem velho mas ate que tinha certo conforto.  Mas 18 horas são 18 horas... Foram aproximadamente 900 km que eu vou falar sobre esta região em uma nova postagem. Mas Kiev eu voltaria. 
  
Qualquer coisa me escrevam

jonasschwertner@hotmail.com

Jonas schwertner