Roteiro Europa

NÃO SE STRESSE; MONTO SEU ROTEIRO PARA EUROPA E FAÇO ORÇAMENTOS POR R$:150,00 ESCREVA ME: jonasschwertner@hotmail.com

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Retrospectivas viagens 2013

Retrospectivas viagens 2013

2013 foi um ano mais tranquilo. Era para ter sido mais, mas nem sempre é possível. Eu estava media de 10 viagens para o Exterior por ano e este ano fiz apenas 08. Foram 3 a trabalho e 5 particulares.  E este ano foi ano que eu mais aprendi com cartões travel Money. Eu sempre uso, mas este ano usei mais que outros anos e consequentemente tive mais problemas e aprendizados. Desde cartão com suspeita de clonagem na Ucrânia, Cartão que foi engolido pelo caixa em Belize e queriam me cobrar U$: 300,00 para retirar ele da maquina.. mas tudo e muito mais foi aprendizado.

Resumo de minhas viagens:

Maio 2013: Cuba

Gostei de Cuba, mas não voltaria. Estive em Havana, Isla de Juventude para mergulhar e Varadero. Varadero eu não gostei. Prefiro muito mais Cancun.

Junho: Bielorrússia, Ucrânia, Moldávia e Romênia.
Esta foi uma viagem que a anos eu sonhava ..todos destinos novos. Foi bom e aprendi muito na região. Lugares que não se fala praticamente alemão e muito menos inglês.


Julho: Turquia e Israel e pulo pela Holanda, Belgica e França
Estas foram mais normais ..  é o de sempre... mas a parte da Europa foi bem marcante

Agosto:  Mochilão:  Istambul na Turquia, depois Suecia, Estonia, Letonia, Lituania, Filandia e Russia
O meu mochilão Anual foi muito bom. Cada ano muda muitas coisas em termos de organização e roteiros. Foi ótimo o grupo e teve alguns lugares novo.   
Setembro : Mongolia 

Esta foi a viagem mais esperada para mim. Foi um sonho que realizei conhecer a Mongolia. Parti de Moscou com mais alguns amigos e foi muito bom..
Setembro:  Belize e Roatan em Hoduras foi uma viagem para Mergulhar...em Belize tive problemas que eu postei sobre caixa eletrônico que comeu meu cartão e não devolveu mas resolvi.  Participei das cerimonias de comemoração de independência aonde pude ver o presidente bem próximo e conhecer alguns lugares e em Roatan paraiso para mergulhar tive experiências que não vou esquecer... do que pode e do que não pode fazer...
Outubro:  Italia, Jordania e Israel  

viagem a trabalho..mas gostei muito.

Novembro: Egito, Jordania, Israel e Istambul

Viagem a trabalho mas foi muito divertida e bom voltar ao Egito.


Dezembro: Cruzeiro Caribe

Mais um cruzeiro pelo Caribe e parti de Colon no Panamá e fui ate Cartagena na Colombia depois para Bonaire, Aruba e Curaçao antes de voltar ao Panama. Aproveitei muito para descansar e mergulhar pouco.
Viagens Nacionais

Bem viajei muitos lugares do Brasil e foram mais curtas mas boa também. Sempre posto as fotos no meu face. Para quem quiser ver https://www.facebook.com/Jonas.Schwertner

Sobre o meu blog foi um ano que tive muitas visitas mesmo e espero que os leitores tenham gostado das dicas e espero que eu possa postar muito mais no próximo ano.  Busco sempre melhorar e se vocês tiverem algum tema que sentem falta aqui me falem ou escrevam que eu posso escrever.
Otimo 2014 e cheio de muitas viagens a todos.

Jonas Schwertner


sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Petra Jordânia

Dicas de viagem para Petra


Petra se tornou conhecida no Brasil principalmente com o filme do Indiana Jones e mais recente com uma novela na Globo e por ultimo com a nova escolha das maravilhas do mundo.  Escolha esta que eu acho que foi mais que justa para este destino.

O que é Petra?


Petra é uma cidade esculpida pelos Nabateus. Estes famosos por serem comerciantes e pelos incensos. A cidade ficou escondida por muitos anos. Muitos achavam que era lenda até que um dia foi descoberta por um Suíço. Bem de lá até hoje muito mudou na estrutura e hoje é possível visitar tranquilamente.

Onde fica Petra? E Como chegar


Petra fica na Jordânia na cidade de Wadi Musa.  Para chegar você pode pegar voo até Amam ou ate Aqaba e de lá são mais alguns km que podem ser feitos de ônibus, transfer ou motorista contratado ou até mesmo alugando automóvel.

Visto Jordânia

Brasileiros precisam de visto para Jordânia.  Ele custa 20,00 Dinares para entrar e tem taxa de saída de mais 10,00 Dinares. O Dinar vale lá U$: 1,5 dólares. (isto mesmo Dinar vale mais que Dólar).  O visto você pode comprar na Fronteira.

Quanto tempo preciso visitar Petra

Petra é muito mais e muito mais que pensa. Muitos fazem passeio de meio dia (já fiz isto 3 vezes) e outra vez fiquei quase dia todo) e posso afirmar que não consegui ver tudo.  Se você quer realmente conhecer mínimo é 2 dias. Não precisa mais que 3. Mas esteja ciente que vai fazer trilhas. Para quem quer conhecer apenas o básico meio dia suficiente.


Opções e custo de passeios e Entrada em Petra.

Passeio em Petra


Muitas pessoas fazem passeio de dia todo que na verdade vai ficar apenas meio dia em Petra partindo de Eilat no Sul de Israel. São passeios que custam media de U$: 300,00 por pessoa fora vistos e taxas e gorjetas que eu recomendo dar. Brasileiro é problema com isto.. Quer sempre ganhar, mas jamais dar.  Neste valor já tem valor do ingresso
O ingresso para quem for fazer um bate e volta por conta o ingresso custam 90,00 Dinares para um dia. Se você estiver hospedado na Jordânia o custo cai para 50,00 dinares.  Para visitar 2 dias o ingresso custa 55,00 Dinares e 3 dias 60,00 Dinares.

Hospedagem em Petra


Petra tem varias opções de hotéis e Hosteis. Vale a pena se hospedar lá. Podem procurar como Petra ou Wadi Musa.


Clima em Petra


Petra esta região Desértica. No verão é quente e inverno faz muito frio. Então vão preparados. Já peguei temperaturas abaixo de 0Cº lá.

Qualquer duvida me escrevam


Jonas Schwertner



sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Dicas de Riga - Letônia

 Dicas e Lugares Visitar em Riga - Letônia



                Eu pude visitar a maior cidade dos Bálcãs (Riga) em agosto 2013.   E ela é sem duvida a mais importante dos 3 países.  A principio assusta um pouco a questão que á moeda deles é uma das mais valorizadas do mundo. Valendo mais que o Euro e outras moedas. Mas não significa que o custo das coisas seja muito alto.  A cidade é muito tranqüila e tem muitas coisas para ver de dia e uma vida noturna agitada. Vou tentar dar dicas baseado nas minhas experiências que eu tive.

Vistos

Brasileiro não precisa de visto para viajar a Letônia.  Vale as regras do tratado e Shenguen.  Ou seja, tem que ter segurado saúde e também reserva de hospedagem e passagens saídas. Se você vem de algum país que pertence ao tratado de Shenguen você não passa na imigração.


Quando é melhor época para visitar Riga?


O inverno é muito rigoroso então prefiram de Maio e Inicio de Setembro.


Como chegar a Riga?



De avião

Riga é a capital dos Bálcãs que tem acesso mais fácil. O aeroporto é o que tem mais freqüências de vôos dos 3 países. A empresa Air Baltic que tem sede em Riga oferece muitos vôos ligando a principal cidade da Europa.

Como ir a Riga de Ônibus

Eu fui de Ônibus vindo de Vilnus. Mas tem muitas opções e horários de varias partes da Europa.  São varias companhias. E se vocês forem a alta temporada eu aconselho comprar com antecedência as passagens.

De Ferry

Tem opção de Estocolmo para Riga e de Helsinki também.


Trem


Tem opções vindo de Minsk e da Rússia. Para outras cidades são poucas as opções e prefira optar por ônibus mais opções de horário. O trem hoje já tem uma qualidade melhor que alguns anos atrás.

Hospedagem

Riga oferece uma boa variedade de opções e categorias de hospedagem. Faça reserva com antecedência, pois como a cidade não é tão grandes muitas opções podem ficar lotadas.  Eu mesmo fiquei em hostel e muitas pessoas chegavam sem reserva e tinham que ir embora por não tem vaga.  Busque ficar hospedados no centro.  Caso esteja buscando por acomodações em Riga, vale a pena conferir o serviço da trivago, lá você encontra várias opções de hospedagem pelo melhor preço.

Quanto tempo ficar em Riga? E como conhece a cidade?


A parte turística da cidade é bem concentrada. Ficando 2 dias inteiros La é suficiente para conhecer a mesma.  Já quando você chega à cidade um dos destaques é o Duomo que você pode ver de longe. Mesmo se você não segue nenhuma religião entre nele vale à pena conhecer. Outros lugares que eu acho imperdíveis é a Opera, o monumento da liberdade que esta próximo de uma ponte e da opera. Desta ponte da para tirar fotos muito bonitas do canal. O monumento em si achei sem graça.  
Os outros prédios históricos você pode conhecer em um dia caminhando tranquilamente. Use um mapa ou aplicativo para se organizar, mas como é pequeno é muito fácil.  Mas eu aconselho fazer um tour com guia, pois a historia de Riga e muito forte na questão da ocupação dos Russos. E para você entender isto é preciso pegar um guia que leve para conhecer tudo. Explicar sobre cada ponto que tem marcado em diversas partes da cidade assim como visita ao museu da ocupação que é fundamental.  E isto vai dar outra visão para a cidade.
Museu tem muitas opções, mas eu destaco mais o da Ocupação.
sem guia passaria despercebido 

Para quem gosta de passeios de barco tem duas opções. Uma no pequeno canal no centro. È bonito e mais pelo charme. Não vai ver muita coisa, mas é gosto. E outro que eu não fiz então não tenho como dar opinião sobre este outro passeio, mas não me atraiu.
Riga é uma cidade muito verde e gostosa caminhar nos parques, vale à pena e alem de serem ótimos lugares para tirar belas fotos.

Para comer existem muitas opções de restaurantes em Riga.  Busque os que oferecem pratos típicos. O engraçado que até o Mac Donald em Riga tem historia. Pode ser algo para nos estranho, mas quando ele abriu em Riga foi um marco da entrada do capitalismo em um lugar que era dominado pelo comunismo da Rússia. Outra experiência é ir ao Mercado Central. Aproveite para comprar queijos e salames e faça lanche. È muito grande e vem da época do comunismo. Vale à pena conhecer.
 Restaurante comida tipica Letônia 




Qualquer duvida me escrevam

Jonas Schwertner



terça-feira, 5 de novembro de 2013

Vilnius – Lituânia

Dicas Viagem Vilnius – Lituânia

No mochilão que eu fiz em agosto 2013 uma das cidades visitadas foi Vilnius capital da Lituânia. Muitos confundem achando que pertence a Scandinavia, mas na verdade pertence aos Bálcãs. A cidade tem 600.000 habitantes apenas.
Vilnius não é uma cidade muito visitada pelos Brasileiros e o acesso também é um pouco mais restrito.


Como chegar a Vilnius?


Eu optei por ir com vôo. Não tem vôos com empresas baratas para lá. OU seja o jeito é achar promoções. Eu voei vindo de Estocolmo fazendo conexão em Riga com a Air Baltic.  Mas o modo mais comum é ir de ônibus. Neste caso é mais fácil pois tem opções de rotas de diversas partes da Europa. De Trem é bem restrito as opções e horários. Do aeroporto ao centro é próximo. Tem opção taxi, ônibus linha e se vocês caminharem 200 metros podem pegar trem. Eu fui de ônibus mesmo.

Vistos

Brasileiros não precisam de visto. Apenas seguro saúde e reservas de onde vai se hospedar.

Dinheiro e Idioma

Muitos falam inglês e alemão mas maioria fala mesmo russo e claro a língua do país que é o Lituano. A moeda (litas) é preciso trocar euro por elas. Muitos lugares aceitam. Pagar no cartão também é transquilo na maioria dos lugares.  Eu saquei um pouco pois muitos lugares você não pode pagar cartão. Custo das coisas não é alto se comparar a outros países.

Hospedagem

Eu fiquei hospedado em um hostel mais próximo estação de trem e a poucos metros de uma das entradas da cidade velha. Mas tem muitos hotéis e hospedagens de tudo que gosto e  bolso.

Sobre a cidade e o que visitar e quanto tempo?


Vilnius é uma cidade Universitaria, é pequena e fácil de conhecer caminhando. Os atrativos são bem próximos um dos outros.  E dois dias são suficiente para conhecer ela. A gastronomia é nada de exótico. Eles tem alguns detalhes da cultura Bálcãs. Eu gostei a noite de fazer caminhada para ver a iluminação noturna. Vale a pena.

Sobre o que ver:

Um dos principais atrativos é Gediminas que é torre do que um dia foi castelo. Ela fica em cima de um pequeno moro. Tem uma vista bonita. O Palacio do Presidente també achei bonito e fica próximo da parte universitária. O complexo dos prédios da universidade vale a pena visita assim como a Cathedral e alguma igrejas como St Anna e outras. Outro ponto que vale a pena visitar mas tem que ver se no dias em que vocês vão estar é o museu do Genocidio. Que conta um pouco mais da historia do que aconteceu na segunda guerra com a ocupação soviética, depois a invasão dos Alemães e a reocupação soviética.  Tem mais lugares que vale a pena visitar. Eu andei muito. Mas vai do gosto de cada um.

Castelo de Trakai Lituania


Este é um passeio que vale muito a pena fazer. Fica proximo de Vilnius cerca de uma hora de trem ou onibus. E  depois mais uma caminhada ou pegar onibus local e você chega nele.


Se tiverem mais duvidas podem me escrever jonasschwertner@hotmail.com


Jonas Schwertner


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Aplicativos Viagens - Ipad, iphone e outros

Aplicativos viagens


Hoje com a tecnologia disponível houve uma facilidade para quem viaja. E estas ferramentas estão ai para isto.  Agora vou falar alguns aplicativos que eu uso e ajudam muito para quem vai  viajar ou esta viajando.

Conversor de moedas: Eu uso o Currency é de graça e eu vou colocando nos favoritos os países que vou visitar. E ai fica fácil você ter como referencia quanto esta pagando. Claro que se você for apenas países de moeda única não precisa tanto mas se vai para vários países e cada um tem moeda diferente

Mapas: Eu uso o CityMaps2go eu uso a versão paga que permite você baixar quantos mapas quiser e o ótimo dele que depois que você baixou ele funciona offline. Ou seja você abre o mapa espera pegar sinal de ou de satélite outriangulação de torres celular (não precisa ter chipp fone funcionando ou qualquer um. Usei aparelho sem ter chipp) ou por wiffi . Entre outras funções não apenas de mapas ele mostra sua localização que já mencionei e você pode procurar desde restaurantes que estejam próximos, atrativos e tem resumo sobre cada um deles. Valor dele foi U$:2,99 e já usei até na Mongólia.


Clima e tempo: The Weather Channel: Uso ele muito. Deixo salvo cidade em que eu moro e tenho opção de marcar outras como principais. Mas uso mais na opção de viagens. Marco as cidades e as datas que eu vou estar La. Ele alem de mostrar o clima hoje como esta da prognostico para as datas. São varias opões nele e é de graça.
Tem outros de menor importância mas estes 3 me suprem em quase tudo que eu preciso.  Tem ferramentas para ver passagens e tudo mais mas ai vai de que tipo de transporte que você quer e tal.

Outros aplicativos que recomendo:

Tradutor: Se você não domina baixe o do google. Mas vai precisar de internet para funcionar. Mas pode ajudar e muito.

Tripadvisor: Tem opções para passeios em algumas cidades e dicas.


Qualquer duvida me escrevam



Jonas Schwertner

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Romênia - Dicas e Relato de minha viagem

Romênia


Dicas sobre a Romênia


A Romênia sempre representada como terra do conde Drácula sempre foi uma rota para muitos viajantes. Tem fácil acesso logístico mas Brasileiros mesmo faz alguns anos que estão explorando. E descobrindo que não é apenas a casa do conde que se tem para visitar.
E para ajudar vou falar um pouco mais de como foi minha viagem para este país.

Visto

Brasileiros não precisam de visto.

Idioma

O Romeno é uma língua latina o que facilita e muito. Mas é bem desenvolvido no quesito que as pessoas falam mais que um idioma.

Dinheiro

Levei cartão e Euros. E preciso trocar pela moeda local. Alguns lugares aceitam Euro e cartão é bem aceito em grande parte dos lugares.

Como chegar a Romênia? E quais lugares visitar?


Para se chegar a Romênia é muito fácil. Existem muitos vôos e alguns com ótimos preços ligando as principais cidades da Europa e Oriente médio. Trem também é bem servida. Para quem esta em Budapeste é uma viagem não muito longa. E ônibus ligam a Europa toda. Mas ai é uma viagem bem cansativa.

O que visitar?

Castelo Dracula

Eu visitei apenas alguns lugares. Mas durante a viagem vi que tem muito mais para conhecer neste país.
A primeira cidade que visitei foi Brasov. Cidade que se você for pesquisar é a do conde Drácula mas chegando descobre que o castelo que ele morou fica em um vilarejo próximo. A cidade é bonita e vale a pena passar um dia visitando apenas ela. Passamos uma noite apenas. Depois que chegamos nos acomodamos fomos ao castelo do Drácula.

Tem muitos passeios que levam. Mas optei por ir ao terminal de ônibus e uma viagem de 01:30 já estávamos La. A vila de Bram é totalmente turística. Os preços também são para turistas mas não é tão caro como outras cidades da Europa. Estrangeiros é o que mais tem. Tem ótima variedade de restaurantes e muitas pousadas e alguns hotéis. Para quem estiver indo de automóvel vale a pena se hospedar por La se gosta de tranqüilidade. Mas como não tínhamos muito tempo...
A entrada ao castelo é paga, mas vale à pena. E este castelo já foi destruído pelos Mongóis. È Engraçado que depois que fui a Mongólia é uma visão diferente do mundo e ate onde eles conseguiram conquistar. Tiramos muitas fotos. È ai também que você descobre que o Drácula nasceu em outra cidade.
Depois do passeio voltamos a Brasov e aproveitamos mais da cidade. A noite na praça central tem ótimos restaurantes que vale a pena conhecer. E os preços são bons.

Ploiești castelo de Peleș


Depois e Brasov pegamos um trem e fomos a cidade de Ploiești. Na verdade não precisaria ter ido até esta cidade pois vi que depois tivmos que voltar para vistiar o castelo. Eu havia optado por me hospedar nesta cidade por um buscador de Hoteis. Foi uma furada. A cidade não tem nada. Agora a vila de Sinaia tem muitas opções para quem gosta de natureza.  Se você quer apenas ver o castelo pode pegar um trem e fazer um bate e volta. Sobre o nome do Castelo não é Peles mas este ș se pronuncia como Ch. O castelo é muito bonito. Mas como já conheço tantos outros não achei tão impressionante assim. Valeu a visita sim.

Bucarest


A Capital da Romênia foi uma boa surpresa. Foi a ultima cidade desta viagem que fiz em Junho de 2013. A cidade é bonita, bem organizada e a principio segura. Os atrativos para visitar históricos não são tantos. Mas tem uma ótima vida noturna com muitas opções de bares e tudo mais.  2 dias para visitar a cidade é suficiente.

Qual quer duvida me escrevam.

Jonas Schwertner

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Moldávia


Dicas sobre Moldávia






A Moldávia

Moldávia um país ainda desconhecido pela grande maioria dos brasileiros e também por pessoas de outros países. Mas que tem uma historia milenar e indústria de vinhos que impressiona por alguns números. Vou falar um pouco mais sobre minha curta passagem por este país que eu coloquei em minha lista que preciso voltar, pois não consegui conhecer praticamente nada do que eu queria. E como é um país que saiu do antigo bloco comunista ainda restam ruínas daquela época.

Sobre visto eu postei já em meu blog:


Como chegar a Moldávia


Por vôo: Não são tão econômicas as opções de vôos para lá. Mas quase todas as principais companhias aéreas que não sejam low cost voam para lá. O aeroporto esta próximo do centro da capital.

De Ônibus: Eu fui de ônibus partindo de Odessa no sul da Ucrânia e depois segui até Romênia. Tem ônibus de diversas cidades da Europa. Apenas não espere conforto dos Ônibus Brasileiros. Demoramos mais ou menos 4 horas com um micro onibus para ir. 

De Trem: São poucas opções. Tem de Kiev e de Odessa. Mas apenas um horário por dia.

O que visitar na Moldávia? E quanto tempo?

Eu deixei muito pouco tempo para moldávia. Hoje se fosse indicar eu indicaria de 3 a 4 dias pelo menos.  

A Capital Chisinau não é grande mas gostei.  2 dias para ela é suficiente. Mas a maioria dos atrativos


Vinícolas: A Moldávia é histórica produtora de vinhos e o que achei mais incrível é os recordes que eles tem.  Eu visitei a Mileştii Mici uma das duas principais.  O que é inacreditável nesta vinícola é que são mais de 200 km de túneis com vinhos. Visitáveis são 54 km que você precisa fazer de automóvel. Se você não tiver um precisa ir de taxi pois a vinícola não dispõem de nenhum. E reserve o dia para isto. Vale a pena.  E o preço dos vinhos é bom.  A segunda maior é a Cricova. Muito boa e famosa. Nos fomos de onibus e não pudemos fazer o tour interno. 


Tiraspol: Esta região que se auto declarou independência. Eu tinha planejado ir mas não tive tempo. Reserve um dia para conhecer a região. Eles tem moeda própria e tudo mais. Mas não é reconhecido.

Orhei: O Monasterio de Orhei é tombado pela Unesco e vale a pena um passeio. Vai gastar um dia para ir a cidade e voltar da capital. Não pude ir também e vou quando voltarei.

Idiomas

Para Moldavia encontrei muito mais pessoas que falam inglês e alemão que na Ucrânia e outros países da região. Apenas com Português e viajando sozinho não recomendo.

Hospedagem na Moldávia

A Moldávia por ser um país pequeno a melhor opção é se hospedar na capital e partir de lá para passeios. Tem variedade de Hoteis e o custo é bom. Ficamos em um hotel no centro. A recepção falava espanhol.

Segurança

Achei país muito seguro. As cidades são pequenas e vale a pena visitar. A cidade por ser pequena achei clima muito bom. 

Qualquer duvida me escrevam


Jonas Schwertner

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Mongólia, relato e dicas de minha viagem

Dicas viajar para Mongólia

Um dos meus sonhos em termos de viagens era conhecer a Mongólia. Sonho este que eu pude realizar em Setembro de 2013. E vou compartilhar tudo desde o planejamento para ficar mais fácil para quem também quer conhecer este lugar.

Visto


Brasileiros precisam de visto para entrar na Mongólia mas no Brasil não tem embaixada ou consulado. Existem varias espalhadas pela Europa principalmente. Mas o mesmo pode ser tirado na entrada em algumas circunstancias.
Se você for querer entrar na Mongólia de trem vindo da China ou da Russia tem que tirar o visto antes. Pode ser em Pequim ou Moscou. Lembre que vai precisar de mínimo 2 dias úteis para isto.
Caso você vai com vôo você pode tirar no aeroporto mas tem que levar uma foto 3X4 e pagar a taxa de 60,00 euros. E fácil e rápido. Preenche formulário, deixe copias das reservas de tudo inclusive da passagem de saída. E tem que ter ao menos uma pagina em branco. Cuidado que eles colam até em paginas que tenham carimbo.

Como chegar a Mongólia

Existem basicamente 2 opções:

 De Trem:

Vindo da China ou da Russia.  Lembrem que os trens não são padrão Europeus. De Pequim são 36 horas aproximadamente. Da Russia depende de onde você for pegar.

De Avião

Neste caso existem muitas opções com vôos para La. Eu fui com a Aeroflot de Moscou e voltei com a Turkish ate Brasil fazendo uma scala e uma conexão.

Qual melhor época para viajar a Mongólia

O período turístico deles compreende de Maio a Outubro mas o melhor é Julho para quem quer ver os festivais e agosto o mês mais quente. Em geral Julho a Setembro são meses bons.

Relato viagem a Mongólia


A Mongólia por estar em uma região demais difícil ascesso aos Brasileiros e por ser um país que esta começando a explorar o turismo e falta estrutura ainda. Então o primeiro passo antes mesmo da viagem foi montar o roteiro. Por onde ir? Quanto tempo? Como fazer?
Existem muitos pacotes que são vendidos por agencias. Maioria de 8 a 10 dias.  Quem gosta de natureza e lugares isolados tranqüilo. Mas se você é mais urbano ideal é 3 a 4 dias interior e 2 na capital. (um na ida e outro na volta dos passeios).
Optamos (fui eu e mais 3 pessoas) por contratar serviço de uma operadora local. Com jipe com motorista. Alem de ter contratado hospedagem no interior em Gers da Mongólia.
Eu vi muitos relatos de pessoas que tiveram problemas com que pagaram antecipado o que é normal e depois chegaram e não tinha nada. Então é preciso ter muito cuidado com isto.
Sobre a Hospedagem na Capital tem muitos hotéis. È também aonde vive grande parte da população do país. A cidade eu não achei bonita. Mas esta crescendo e muito.

A chegada


Foram 6 horas de vôo de moscou para Ulaanbaatar e de La para Brasil são 11 horas de fuso. O vôo foi tranqüilo. Assim que chegamos providenciei o visto que não foi possível tirar em Moscou pois chegamos em uma quinta a noite e seria necessário 2 dias úteis para conseguir. Da entrada em um e no dia seguinte retira. Mas como não trabalham em sábado nem arisquei.
Depois que fizemos os tramites de pegar o visto ai passar carimbar passaporte pegar as malas e mochilas que já estavam sendo recolhidas pois fomos últimos ainda tinha taxista esperando para oferecer serviço. Antes de ir me ofereceram transfer por valores que achei muito caro. Uma empresa ofereceu por U$:80,00 e o hostel que ficamos ofereceu por U$:40,00. E paguei em moeda local equivalente a U$:20,00.
O transito é complicado e o que chama atenção é que as pessoas dirigem na mesma mão que nos aqui no Brasil mas muitos automóveis tem a direção invertida. Isto acontece por que são caros usados que vem do Japão. É engraçado pois você vê motoristas com direção  a direita e outros esquerda. A cidade tem poucos atrativos. O palácio do Governo, alguns museus valem a pena visita. . Eu ainda fui na agencia que eu tinha fechado conversar com eles e ver últimos detalhes da viagem do dia seguinte.

01º Dia pelo interior


Logo após café da manha partimos para o primeiro parque. Hustai. Famoso pelos cavalos brancos. ( bem quase brancos...) . Viajamos aproximadamente 100 km da capital. Demoramos mais de 1 hora para sair devido o transito.  Antes de sairmos na periferia já podemos ver os primeiros gers e alguns barracos em espécie de favela. E lamentável ver mas passou logo. Nas primeiras pastagens dava para reparar quais pertencem a estrangeiros devido as cercas e já começamos a cruzar com os primeiros rebanhos de ovelhas e cabras. E olha como tem destes. Acho que deve ter 10 animais para cada habitante.
Quando chegamos na entrada do parque ficamos hospedados em um resort de Gers. O nome resort parece que é algo luxuoso. Realmente foi o melhor Gers que ficamos mas bem simples. Banheiros externos e tinha lenha a vontade para colocar no fogão.  Depois do almoço saímos para caminhar pelas encostas de uma montanha aonde falaram que os cavalos costumam ficar naquela época.
Cada um foi caminhando no seu ritmo e a paisagem é incrível. Começamos a ver já os primeiros animais típicos da Mongólia. A Águia logo se destacou. No chão reparamos a grande quantidade de buracos que não estávamos conseguindo identificar de que animais eram. Depois de certo tempo de caminhada avistamos os cavalos mas na montanha em frente a que estávamos caminhando. Então resolvemos continuar pois as montanhas eram interligadas. E qual foi a surpresa quando chegamos ao topo da primeira e logo ao cruzar do outro lado já tinha um grupo La... foi bom mas apenas a distancia é possível ver pois quando notaram nossa presença foram embora. Depois de quase 3 horas de caminhada chegamos ao outro lado próximo de onde avistamos os primeiros cavalos a distancia. E como o vento estava a nosso favor foi possível chegar mais próximo.  
AS fotos não mostram praticamente nada do que realmente vimos. Mas o que mais nos impressionou não sei se para todos do nosso grupo mas foi o comportamento do líder do grupo que observou a nos e percebemos que se comunicou com o resto do grupo que se afastou enquanto ele ficou nos observando antes de sair.
Depois caminhamos mais uma hora e estávamos de volta aos nosso Gers.
Não é a toa o slogan que tem na Mongólia. Terra do Céu azul. Ele realmente tem uma tonalidade mais forte de azul e parece que esta muito mais próximo. Como não tem influencia de cidades a noite fica mais estrelada ainda. Mas também bem fria.

Como é um Gerd da Mongólia?


Os Gers que nos turistas usamos já vem com o sobrenome Turistick pois são adaptados para nos. No interior o que pude reparar que a grande maioria tem o seu e tudo é dentro inclusive a cozinha. No turístico que nos usamos em todos os lugares é apenas para dormir. Com uma a 4 camas dentro. Eles são revestidos com mais camadas  e ao centro tem um forno para esquentar. Em um dos gers que ficamos eles deram pouca lenha mas esquenta muito o ar dentro dele e dormimos com cobertores de lã de ovelha que esquentam muito.

Como é a comida servida nos Gers turísticos?

A comida era estilo europeu. Nada de exótico. Um pouco apimentada apenas algumas coisas. E o resto é normal.
Kharakorum antiga capital do período imperial



O segundo dia chegamos a Kharakorum foram mais algumas horas de viagem vendo paisagens e muitos cavalos que fazíamos perguntas para que tanto cavalos? Fora as ovelhas e tivemos que para quando vimos um grupo de camelos. Eu já havia visto e andado com eles no oriente médio. Mas estes com a paisagem ao fundo renderam boas fotos e uma visão incrível. Não eram selvagens pois os filhotes estavam amarados a suas mães.

Chegamos após meio dia na antiga capital. A cidade hoje tem menos de 8.000 habitante e o que restou da época apenas uma estatua que eles dizem ser uma tartaruga mas para mim não parece não. O atrativo principal é o Erderne Monastery um dos mais antigos da Mongólia. O monastério é de 1585 mas já foi destruído e o estado dele é um pouco lamentável. Podemos assistir uma cerimônia.

A região de kharakorum é a mais fértil da Mongólia mas não se vê nada de tecnologia como aqui. Tudo bem simples. Voltamos cedo ao nosso Gers que é mais simples que o da noite anterior. 
Nesta região deixamos de visitar uma cachoeira que apesar de não ser grande para os padrões do Brasil era um cartão postal da região. Isto aconteceu por que o motorista não falava inglês e havia invertido a ordem de um lugar. Mas tudo bem. 

Bulgan 3º Dia

O 03º Dia já sentido Ulaanbaatar fomos para região de Bulgan. A região é mais para parada curta mas como estávamos com tempo sobrando foi mais para descanso. Fomos as dunas de areia que são o atrativo do lugar. Subimos outra montanha esta já em um clima árido. A vista sempre impressionante e fomos a um lago aonde havia muitas aves migratórias principalmente gansos e uma família de cisnes.  Neste Gers a Lenha era bem racionada. Quando pedimos eles olharam e não gostaram. Foram La trouxeram 3 pedaços de lenha colocaram dentro e pronto mais nada. Entendo isto por que não vimos arvores na região e as pilhas de lenha eram claramente trazidas de longe.
Yaks


O retorno a Ulaanbaatar

Partimos cedo para a capital. Foram mais de 800 km que andamos e se olhar no mapa não era nada pelo tamanho do país. Já estávamos viajando a 22 dias e acho que o tempo foi suficiente. Chegamos por volta das 13:00 e fomos direto para nosso hostel e depois almoçar. Gastar o resto do dinheiro deles que não vale nada.

Ultimo dia e vôo para Brasil

Partimos cedo para o aeroporto. Demorou mais de 30 minutos e isto que o nosso motorista levou por um caminho alternativo desviando o transito. Chegamos cedo e para fazer o check inn demora para liberarem pois tem poucas opções. Somente dois vôos por vez. Mas depois passamos. E ai longos vôos até Brasil.

Visão que tive da Mongólia.

Pude conhecer um pouco apenas. Mas o que eu conheci gostei. Muitas vezes viajo para um país e falo aqui eu não preciso mais voltar. OU aqui já vi o que queria ver. Mas a Mongólia me deixou com ar de eu quero voltar. Quero conhecer mais lugares e sei exatamente os lugares que não pude ir por questão de tempo mesmo.
Se alguém quiser dica sobre a Mongólia ou quer organizar uma viagem para lá ou quer que eu acompanhe me escrevam



Jonas Schwertner  

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Mochilão Europa 2014 - Italia, Chipre e Malta

Depois de muito tempo e diversos pedidos vou montar mochilão que passe pela Itália novamente.

Para 2014 a viagem vai ser em Junho.


Mochilão Europa 2014

Mochilão Europa 2014

29/05/2014 São Paulo / Chipre

Encontro aeroporto internacional de Guarulhos com voo rumo a Nicósia capital Chipre.

30/05/2014 Chipre

Chegada no Nicósia capital do Chipre. Transfer para Hostel e resto dia para conhecer a cidade.

31/05/2014 Passeio por Nicósia

01/06/2014 Passeio pela parte do Chipre de autonomia Turca passando pela imigração e tudo.

02/06/2014 Chipre

03/06/2014 Voo para Malta. Após chegada em Malta transfer para Valeta capital. Resto dia para conhecer a cidade. (este vôo vamos comprar de empresas baratas pela net)


04/06/2014 passeio por Gozo

05/06/2014 Viagem de Ferry para Catania. O ferry demora 2 horas mais um trajeto de bus.

07/06/2014 Passeio por Catania

08/06/2014 Passeio pelo Vulcão Etna. Vamos de ônibus local.

09/06/2014 Viagem de Trem para Napoles. A viagem tem duração com trem direto de 07:22 horas e vamos de dia para conhecer bem a paisagem.

10/06/2014 Passeio pela ilha de Capri

11/06/2014 Passeio por Pompéia pela manha e a tarde ou final da tarde trem para Roma. (02:00 horas de viagem)

12/06/2014 Roma e passeio pela cidade

13/06/2014 Roma

14/06/2014 Viagem para Florença e passeio pela cidade

15/06/2014 Passeio por Pisa e Lucca

16/06/2014 viagem a Padova e passeio pela cidade

17/06/2014 Passeio Veneza dia todo.

18/06/2014 viagem para Milão e passeio cidade e a noite voo para Istambul.


19/06/2014 Voo retorno ao Brasil 

Custos: ( Os custo vou ter todos eles até final deste mes. Devo Divulgar quando voltarei do meu mochilão pela Scandinavia) 


Alimentação: 600,00 euros para a viagem toda. Este valor eu estimo pela experiência que eu tenho nestas viagens. È um valor jogado com Margem de erro. Se fizermos refeições nos hosteis ele reduz.

Hosteis: 460,00 Euros em quarto coletivo para viagem toda. Pode ter uma pequena variação mas isto eu já posso confirmar quando tiver feito as reservas. Em geral eu faço todas as reservas mas cada um paga o seu hostel diretamente para eles. Assim todos ficamos nos mesmos hosteis.


Os demais custos ainda não tenho pois não abriram os preços.

Qualquer duvida me escrevam. Eu vou enviando as novidades 

e-mail: jonasschwertner@hotmail.com 




Jonas Schwertner

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Visto para Moldávia

Visto para Moldávia



A moldávia é um país ainda pouco conhecido pelos Brasileiro. Pequeno e escondido em um canto da Europa que os Brasileiros estão começando a descobrir. Mas antes de falar sobe o país que vou dedicar uma postagem apenas para ele vou falar sobre o visto.

A Moldávia é um dos poucos países que Brasileiros ainda precisam de visto.  E como não tem consulado ou embaixada no Brasil vou explicar o procedimento para tirar o visto e como eu tirei. Existem duas situações diferentes para entrar na moldávia.

01º Se você for entrar na Moldávia por terra como eu fiz seja pela Romênia ou pela Ucrânia como eu fiz você precisa tirar o visto antes.  Existem alguns países que você pode tirar e a relação dos consulados e embaixadas você encontra neste site:




O que precisa para tirar o visto?

Eu levei já fotos do Brasil e o formulário preenchido para ganhar tempo. Tirei o visto em Kiev e foi preciso 24 horas úteis para ele ficar pronto. O custo foi de 45,00 Euros e tive que pagar em um banco. Não recebem no consulado. Não esqueçam de levar fotos 3x4 senão tem que tirar La e ai perde mais tempo.

Não se pode tirar mais no Aeroporto até que mudem as regras novamente... então tem que tirar antes... 

Qualquer coisa me escrevam 

jonasschwertner@hotmail.com

Jonas Schwertner 

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Dicas Crimeia e Odessa


Dicas e Relato de minha viagem a Criméia
  
Criméia um paraíso para ser descoberto.


È assim que eu vejo a Criméia hoje. Esta região já era a que eu mais tinha vontade de conhecer esta viagem que fiz em Junho de 2013. O Roteiro completo deixei aqui no meu blog neste link :


Um pouco mais sobre a Criméia

 O que me levou a querer conhecer esta Região da Criméia foram fatos históricos da segunda guerra principalmente. E devido a isto comecei a pesquisar e ver lugares muito bonitos. Hoje se eu fosse voltar ficaria mais tempo lá e iria incluir mais cidades. A região quando chegamos já da para notar logo a diferença nas paisagens em relação ao resto da Ucrânia. As marcas das gigantes industrias abandonadas do período da União Soviética estão em todas as cidades. Mas o que mais chamou foi que praticamente não via bandeiras da Ucrânia. E sim uma que eu achava ser da Rússia. Depois que me falaram e percebi que é idêntica mas com pequenas diferenças. A Criméia é uma região que tem movimento separatista. A língua que a grande maioria fala é o Russo. E uma mulher falou que existem poucas escolas que ensinam o Ucraniano.  A Região também é banhada pelo mar negro.

A Chegada a Criméia


Depois de 18 horas de trem vindo de Kiev chegamos a Sevastopol que foi a cidade que escolhi como base. Eu optei por ela por ser as margens do mar negro, er interessante com alguns atrativos e de fácil logística. Se fosse apenas por logística eu escolheria Simferopol que fica no Centro. Mas  esta cidade é apenas uma cidade industrial com quase nada para conhecer.  Depois que chegamos fomos ao Hotel de taxi.


Sevastopol

sevastopol

Sevastopol é uma cidade de porte médio para os padrões da Ucrania. Foi base de lançamento de submarinos na época da União Soviética. O Centro histórico é pequeno mas interessante de se conhecer e a orla do centro também. Um dia inteiro para conhecer a cidade é bom. Nos ficamos mais dias para usar como base. O que percebi e não era não era novidade é que praticamente ninguém fala inglês ou alemão.


Yalta

Palácio khans

Yalta esta aproximadamente 60 km e este é o ponto alto de uma visita a Criméia. O primeiro desafio eu já havia me precavido e na recepção do hotel pedi para escreverem em russo os detalhes da passagem de ônibus que iríamos ter que comprar para chegar a Yalta.  Quando chegamos na estação perguntei se falavam alemão ou inglês mas nada. Bem ai foi usar o papel com os dados que precisávamos.  A viagem demorou aproximadamente 01:40. A paisagem é muito linda e deu vontade de em uma próxima voltar e visitar algumas cidades menores. O que reparei no caminho é eu as placas de transito estavam com opção em inglês também. Mesmo no resto do país as rodovias são muito bem sinalizadas pelos trajetos que perco ri. O objetivo em ir para Yalta para visitar o Palácio khans.  Chegando na rodoviária outra surpresa que não era surpresa que ninguém fala inglês ou alemão. O jeito foi comprar um postal para mostrar a foto e ai sim conseguir a informação de qual bus local pegar para chegar ao castelo. Bem foi tranqüilo, pegamos o ônibus e fomos conhecer o Palácio. Este palácio foi considerado pela revista National Geographic como 20 lugars que precisam ser visitados em 2013. A surpresa que lá tirando alguns vendedores ninguém fala inglês ou alemão. Compramos a passagem para voltar de barco para Yalta e foi no chute. Mas valeu muito a pena conhecer. Depois andamos pelo centro da cidade que é bonita também e regressamos a Sevastopol.

Dicas para Viajar pela Criméia
  
Para quem quiser ir para lá eu já recomendo se preparar para enfrentar lugares que não falam outros idiomas como inglês e alemão. Deixe já pré programado os lugares que você quer ir e sempre tenha cola escrita no idioma local dos lugares que você quer ir.  Se quiser ir de avião em Simferopol tem aeroporto com vôos de vários lugares. È uma opção mais tranqüila que fazer de trem como nos. E se quiserem tirar mais duvidas me escrevamjonasschwertner@hotmail.com

De Sevastopol para Odessa

O próximo destino foi a famosa Odessa. A viagem de Sevastopol para lá também não foi das mais curtas. Optamos por ir de Trem. Mas o trem direto sairia de Simferopol. Compramos as passagens fomos de ônibus até lá por ser mais rápido e ter muito mais opções. A viagem e 558 km em trem na 02º Classe cabine com portas mas com o ar não funcionando foi longa...demorou 15 horas. Mas como saia a tarde chegamos por volta das 05 da manha.

Odessa



Odessa é 3º maior cidade da Ucrânia mas recebe mais turistas que qualquer outra. È uma cidade para quem gosta de Praias ( e que não conhece praias como do Brasil, Caribe ou outras...) Optei por pegar um hotel na região em que teoricamente estão as melhores praias. Fica longe do centro algo que eu me arrependi. A cidade recebe muitos turistas realmente. Mas nem por isto encontra com mais facilidade pessoas que falam inglês. Os turistas em sua maioria vem da Russia ou outros países vizinhos. O centro tem alguns atrativos mas nada de mais. A vida noturna é bem agitada com muitas boates. Para quem gosta é paraíso. ( dica treine um pouco do ucraniano e russo para ir).  Eu não gostei da cidade. E não voltaria.

Mar Negro


Eu até então não conhecia o mar negro. As águas para final de junho estavam muito geladas. E as praias são feias. A água tem cor bonita. Pesquisei um pouco sobre o por que o nome de Mar Negro e encontrei a seguinte informação se dá devido à presença de grande quantidade de sais minerais que dão uma coloração escura. Não achei a cor tão escura. Mas acredito que navegando ai sim se percebe mais. Mas sair do Brasil para passear nas praias de lá não vale a pena. Se estiver passando sim. Passe para conhecer.

Próximo destino Moldávia

Se alguém quiser mais dicas ou informações sobre a Criméia ou outra região da Ucrânia me escrevajonasschwertner@hotmail.com

 Jonas Schwertner